18/01/2010 às 12h24
Por: Babi Limon

Mundança de lay, mundança de vida. Acho que 2009 foi o ano mais decisivo na minha vida, reafirmei amizades, criei novas amizades (de todos os cantos do mundo =O), fiz a viajem dos meus sonhos (passe um mes em Londres), me apaixonei e desapaixonei logo em seguida, mudei radicalmente meu estilo, ganhei um cartão de credito e cresci. Fiz vestibular pela primeira fez, cheguei ao ensino médio, redescobri meu amor por medicina. Aprendi a ser independente, mas continuo chorona ;c.

2010 começou estranho, primeiro Angra, agora o Haiti, novamente o ano começa com catastrofes. Confesso que quando vi as imagens desses ultimos dias tive vontade de abraçar cada uma daquelas pessoas, tive vontade de mudar o mundo, tive vontade de ser capaz. Espero que esse ano (...) fica em aberto, não vou fazer promessas nem esperar nada para 2010, as coisas vão acontecer =) (maneira medonha de acabar um post ¬¬)

Ah, quero divulgar o Blue Crayon (www.blue-crayon.zip.net), um blog super legal, com um lay super lindo ;P não é porque fui eu que fiz nem nada não, mas... =)) Vale a pena visitar. Eu voltei a fazer lays e estou morrendo de vontade de fazer encomendas, então se alguem quiser um lay é só pedir, faço com o maior carinho e animação =))






02/12/2009 às 14h41
Por: Babi Limon

FILIPE GALVÃO


                          

Quem ainda não conhece, vai conhecer. Eu não sou nenhuma vidende, isso é uma previsão mais que obvia. Felipe Galvão, 19 anos, filho de Fábio Jr. e mais conhecido pelo apelido meio estranho (que eu demorei muito tempo pra aprender a pronuncia correta ¬¬) FIUK.
Esse menino tem escrito na testa, "Nascido para o sucesso". É o vocalista de uma banda chamada Hori, que tem um monte de musicas bem legais (eu super recomendo), é filho de uma cantor super famoso, é super lindo, tá se dando super bem na malhação, e a voz não é lá esse super (desculpem-me pelo uso "meio" exagerado" desse adjetivo) mas dá pra ouvir na boa.
Eu realmente não gosto de ser fã loucamente de famosos (só do McFly), mas vou ser sincera, é dificil me segurar quando olho pra essa carinha de cachorro fofinho. Já me apaixonei pela musica, pelo cabelo, pelo estilo. E tô morrendo de medo de cair nessa modinha (porque sei que nem de longe sou a unica enfeitiçada por esses olhinhos).
E o mais legal é que ele aparentemente não é só essa coisinha fofo, tem um certo conteudo tambem. Eu tava lendo minha dose semanal de Veja, quando achei uma entrevista com ele, com várias perguntas bestas sobre o pai, mas com uma bem interessante. Vai um trecho:

"Do que tratam as suas músicas?
Tem uma que diz assim:' Acredito sempre nessa fé que me ilumina, viver não é parar e pensar só em problemas"

Filosou eihn? Adorei a resposta. Bom, vou ficando por aqui, vejam o clipe da musica SEGREDO da banda Hori, é linda =))






20/11/2009 às 15h57
Por: Babi Limon

TENTATIVA DE FUGA

"Ela realmente não estava normal naquela tarde."

O dia começou normal, ela acordou como sempre, lavou o cabelo relaxado como sempre, pegou o secador como sempre e perdeu duas longas horas da sua vida fazendo escovinha como era o costume diário. Seu nome era meninanormal30156, ela fazia parte de um grupo nada seleto que abrangia 99.999% das garotas da sua escola, o "Cabelo liso S.A", uma ditadura cruel que dominava o mundo dos cabelos. Só que ela não estava normal naquela tarde, sentia-se estranha, sentia que não deveria fazer parte daquele mundinho sem graça, sua mão tava cheia de calo e ela não aguentava mais a franja lisa caindo no olho, foi quando ela descobriu que era diferente, que não queria ser igual a todo mundo.

Nada nem ninguem pôde impedi-la de sair correndo e procurar o cabeleleiro mais proximo, ela não sabia ao certo o que queria, mas saiu do salão transformada, quem era aquela pessoa??

O final de semana foi o mais longo da sua vida, na segunda começou a se arrumar duas hora antes, procurava o melhor jeito de arrumar o cabelo. Entrou no carro em silêncio, suava frio, não sabia o que iam dizer, seu pai virou de disse antes dela descer do carro "você está ótima". Ela sorriu e começou a andar, andar, andar (mas que merda, parecia que o caminho estava mais longo hoje), a vontade era de virar e sair correndo. Quando ela entrou não conteve o sorriso, todos vinham aos monte falar o quanto ela estava bonita, e como tinha tido coragem. Ela se sentiu a Gisele B. no meio de uma montanha de chocolate, nunca fora tão elogiada. Sabia que nunca mais seria igual a todo mundo. Ela se tornou Bárbara a partir daquele dia.

Hahaha, adivinhem quem é?

Nada contra cabelos naturalmente lisos, mas esse é um protesto pessoal contra essa cultura que só valoriza o que é liso, retilinio. Acho que cada um tem que assumir o que é seu, e foi isso que me mudou, quando eu larguei a chapinha e resolvi assumir os meus cachos, sem ter vergonha de dizer :"E daí? Sou brasileira sim, e meu cabelo é cacheado sim, embaraçado e encaracolado!!"

obs.: O lay é novo, por isso o Iframe ainda não tá pronto.  Beijoss






19/10/2009 às 14h15
Por: Babi Limon

Os Personagens

Em um dia normal, no meu cotidiano normal, assistindo normalmente a desenhos dedicados ao público infantil, mas que eu (uma adolescente normal) gosto muito de assistir. Resumindo: em um momento TV globinho do meu dia, estava assistindo ao desenho do Sr. Bob Espoja calça quadrada, quando senti um frio na barriga e pensei: “Será que eu sou um Lula Molusco da vida??”

É lá no fundo do mar, na Fenda do Biquíni, que está escondida quatro tipos peculiares da nossa sociedade. Seres enigmáticos, aos quais eu reservei meu dia para analisar, vamos por parte. 

Tipo 1: Pessoas que estão aparentemente sempre alegres, acham o lado bom de tudo e são tão inocentes que são constantemente enganadas. Mas na verdade são frágeis, e necessitam sempre chamar a atenção. São seres inferiores, que não são capazes de crescer na vida, pois como já foi dito, estão sempre satisfeitos com o presente e não pretendem sair da zona de conforto.

 Tipo 2: Viciados em dinheiro, são compulsivos por vitórias, nunca admitem perder, por isso acabam magoado todos a sua volta, e estarão sempre rodeados de inimigos. Temos pena deles, mas quando tentamos ajudá-los nos passam a perna. Ganham dinheiro com facilidade por vias sujas. Emocionalmente são um lixo

Tipo 3: Solitários e resmungões. Não gostam de pessoas do tipo 1, pois pra ele silêncio e paciência são virtudes essenciais. São pessoas intelectuais, mas burras ao mesmo tempo, pois não se preocupam com o presente, estão sempre sonhando com algo melhor, que provavelmente nunca alcançarão, e por isso são amargos e descontam a raiva em todos a sua volta. São infelizes e a alegria exagerada incomoda.

Esses são só exemplos de vida, e sinceramente me assusta pertencer a um desses grupos. Na verdade me assusta pertencer a um grupo, pois nada pior do que ser rotulada. Quem sabe eu não decido fazer uma revolução : "Os sem Grupo".

 Gente, muito obrigada por todos os comentário, eles significam muito pra mim. Na verdade eu até pensei eu desisti desse blog, mas resolvi continuar. Brigada pelos elogios e prometo melhorar cada vez mais.

Beijos, ;**






09/10/2009 às 10h49
Por: Babi Limon

Resposta de uma aluna do ensino médio quando perguntanda o que é ser brasileiro na sua opinião.

 

 

"Para a maioria das pessoas, ser brasileiro significa basicamente ter nascido no Brasil, o país maravilhoso. Para mim, não sabemos quem realmente somos, onde estão nossas raízes. Vivemos influenciados por outras culturas, principalmente pela norte-americana. Se analisarmos históricamente, veremos que é da mesma maneira que os índios foram submetidos aos portugueses, a diferença bem clara é que estes lutaram para não serem vencidos, enquanto nós aceitamos os enlatados de livre e espontânea vontade. O Brasil é hoje o país do futebol, do carnaval, das mulatas sensuais. O Brasil deveria ser formado por brasilienses, que cuidam dos seus indios e conservam a lingua tupi, que comem tapioca e se reunem do domigão pra assistir capoeira. Ou que simplesmente tivessem orgulho da sua cultura, mesmo sendo brasileiros"

Será que essa aluna estava certa? Será que a mistura toda, mesmo com todas as influências externas é a nossa verdadeira cultura, e o passado fica no passado? Bom, ela ganhou a nota máxima, mas ainda tem duvida se está certa ou errada. Talvez ela seja só um pouquinho no contra, e enquanto todos comemoram o RIO 2016 ela resmunga dizendo que não temos identidade propria.






.*BABI LIMON E FINDAWAY...


Surgiram em 2009 com o objetivo de expressar sua mente essa garotinha de 16 anos (obs.:a coisa que ela mais odeia é um tal de sufixo -inho). Com muitas ideias na mala e muita criatividade na ponta do lápis ela quer que todos a conheçam, e principalmente que conheçam sua paixão por escrever e fazer layouts. Enjoy =)







www.asenhorita.com
www.blue-crayon.zip.net
www.wonderless.zip.net

www.bymarina.com.br
www.google.com.br
www.uol.com.br
EU * Lay e HTML ;)